Saindo de cena! Sojinha antecipa eleição presidencial do MAC para abril

De olho no comando do Tigre, Eduardo Nascimento desconversou sobre interesse de ser presidente

 

A reunião de ontem do Conselho Deliberativo do Marília Atlético Clube (MAC) foi marcada pelo pedido do presidente Antônio Carlos Sojinha, de antecipar a eleição presidencial, que aconteceria somente em outubro de 2020, para o próximo dia 12 de abril (data do aniversário de 77 anos de fundação do Alviceleste), dois dias antes da estreia do time no Campeonato Paulista da 4ª Divisão (Sub-23).

“Como ultimamente o clube está passando por reformas no estatuto e novas pessoas estão participando, resolvi antecipar a eleição presidencial. Além disso, preciso cuidar melhor da minha saúde (retirou um tumor de 4 centímetros da cabeça em setembro de 2018) e dos meus afazeres em São Paulo (administra os bens de Mário Teixeira, dono do Grupo Audax). Poderia até me candidatar à reeleição como presidente, mas já adianto que não o farei”, afirmou Sojinha, que seguirá como conselheiro do Alviceleste.

O presidente do clube, que iniciou sua gestão em janeiro de 2017, disse que sua saída do MAC não tem a ver com seu nome ter sido citado mês passado na Operação Lava Jato, pelo ex-presidente da empreiteira OAS, Léo Pinheiro, que em delação premiada afirmou que Sojinha (presidente do Daem na época) recebeu da empresa R$ 2,5 milhões em 2011, sendo R$ 1 milhão para pagar a renúncia do prefeito Mário Bulgareli e a outra parte para injetar na campanha de Ticiano Toffoli (PT) para prefeito. O dirigente maqueano não quis falar sobre o assunto.

Sojinha revelou que nos próximos dez dias irá entregar a prestação de contas (referente a 2018) ao Conselho Fiscal do MAC, que atualmente é presidido pelo engenheiro civil Paulo Roberto Amado. “Já está praticamente tudo pronto e no dia da eleição (12 abril), antes da votação, se o Conselho Fiscal aprovar, o Conselho Deliberativo irá referendar as contas”.

Sem surpresa

Presidente do Conselho Deliberativo, Cristiano Gonçalves, o “Crisão”, não ficou surpreso com o pedido de Sojinha pela antecipação da eleição presidencial e explicou que o novo comandante do MAC terá um mandato já com base no novo estatuto, que ontem teve a primeira de suas três partes aprovada, com tempo de três anos de gestão. “Não é surpresa que o Sojinha queira sair, porque seu estado de saúde merece muitos cuidados e ele possui outras ocupações que requerem seu tempo em outra cidade. O estatuto permite que o presidente antecipe a eleição. O que vai acontecer é que o novo presidente fará um mandato de transição de ajuste, tomando posse no dia 12 de abril até 31 de dezembro de 2021. Esse tempo ainda não é definitivo”, explicou Crisão.

A eleição no dia 12 de abril será para a escolha do presidente e do vice do clube, e será votada pelos 21 conselheiros (seis novos eleitos ontem). Poderão se candidatar ao pleito somente os 30 ‘sócios contribuintes’ que o MAC tem no momento. “Todo conselheiro é um sócio contribuinte, então poderão concorrer aqueles 15 nomes aprovados no quadro associativo na reunião do dia 12 de fevereiro, mais os 15 conselheiros que regularizam sua situação no mês passado”, frisou o presidente do Conselho.

Candidato certo

Nomeado diretor geral de futebol do MAC no mês passado, o secretário municipal de esportes Eduardo Nascimento também foi empossado ontem, um dos seis novos conselheiros do clube, com mandato até dezembro de 2020. O dirigente é o nome mais cotado para assumir à presidência do Marília, mas após a reunião do Conselho Deliberativo, desconversou sobre o interesse. “Ainda não sei (se irá se candidatar), sou candidato a ajudar o clube como um dos 21 conselheiros. Estou muito feliz na minha atual função no Marília (diretor geral de futebol)”, enfatizou.