Mariana Xavier será dirigida por Lázaro Ramos em monólogo sobre depressão

Mariana Xavier promete mais uma tacada de mestre, agora no teatro. Depois do fenômeno Jenifer bombar como hit do verão, a atriz vai apostar as fichas em seu primeiro espetáculo solo, Antes do Ano Que Vem, que será dirigido por Lázaro Ramos. De Gustavo Pinheiro, a comédia trata de assunto sério como depressão, solidão e saúde emocional. No palco, Mariana fará nove personagens.

Mariana Xavier promete mais uma tacada de mestre, agora no teatro. Depois do fenômeno Jenifer bombar como hit do verão, a atriz vai apostar as fichas em seu primeiro espetáculo solo, Antes do Ano Que Vem, que será dirigido por Lázaro Ramos. De Gustavo Pinheiro, a comédia trata de assunto sério como depressão, solidão e saúde emocional. No palco, Mariana fará nove personagens.

“Eu que corri atrás do Lázaro. Sou apaixonada por ele. A peça conta a história da Dizuíte, uma faxineira da central de atendimento aos desesperados na noite de Réveillon. Ao mesmo tempo em que tem muita gente feliz com o que está por vir, tem outras frustradas com o que não conseguiram realizar, por isso o índice de suicídio é muito grande nessa época do ano. E aí a terapeuta que deveria estar de plantão não aparece para trabalhar. Dizuíte é quem vai atender as ligações dos que estão pretendendo se matar. Mesmo de forma simples, de alguém sem preparo profissional, ela vai passar mensagens positivas”, adianta a atriz, que planeja estrear no segundo semestre.

Antes disso, Mariana volta a interpretar a personagem que lhe deu projeção nacional, Marcelina, em Minha Mãe é uma Peça 3, que ela filma entre meio e junho. E pretende encerrar a comédia O Último Capítulo, após percorrer 27 cidades, com transmissão ao vivo pela internet.

“A ideia é apresentar a peça, que trata de um relacionamento abusivo, seguida de bate-papo com a plateia abordando o assunto. Falar sobre como uma relação tóxica pode afetar nossa autoestima e como a dependência afetiva mexe com a gente. Quero aproveitar a internet para aproximar as pessoas do teatro”.