Vendas crescem 4,4% e anima o comércio, diz Acim

O vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Marília, Manoel Batista de Oliveira, considerou positiva e animadora, a informação sobre o bom desempenho do varejo em novembro foi puxado por companhas como o Black Friday e melhora da confiança do consumidor, conforme divulgado pelo IBGE, sobre a performance das vendas em 2018. “A cada ano o mês de Novembro vem surpreendendo com aumento

O vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Marília, Manoel Batista de Oliveira, considerou positiva e animadora, a informação sobre o bom desempenho do varejo em novembro foi puxado por companhas como o Black Friday e melhora da confiança do consumidor, conforme divulgado pelo IBGE, sobre a performance das vendas em 2018.
“A cada ano o mês de Novembro vem surpreendendo com aumento no volume das vendas, aquecendo as vendas de Dezembro que são sempre boas”, disse o dirigente mariliense, ao constatar no movimento do varejo local, as mesmas condições de crescimento. “É um número muito bom, puxado em grande parte pela Black Friday”, apontou Alencar Burti, presidente da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), que também elogiou os varejistas pelo bom desempenho do comércio.
De acordo com o dirigente paulistano Outubro já é um mês tradicionalmente positivo, colocando Novembro como um mês agradável para o varejo em geral. “É interessante observar que o ramo que mais cresceu foi o de artigos de uso pessoal e doméstico (16,9%), que inclui brinquedos, materiais esportivos, joias e lojas de variedades”, reforçou Alencar Burti que considera importante esse quadrimestre anual forte. “Isso mostra que, embora a data comercial seja muito relacionada à venda de produtos eletrônicos pela internet, no varejo físico - que vem abraçando a Black Friday de maneira cada vez mais intensa - a predominância é de produtos de menor valor, como: panela, ferro de passar e utilidades domésticas”, analisa Burti ao apontar o mês de Setembro como um mês tradicionalmente forte com a troca das estações. “São cinco meses de boas expectativas de vendas”, ressaltou Manoel Batista de Oliveira, que concorda com a análise do presidente da Facesp, ampliando o período positivo para cinco meses do segundo semestre.
Alencar Burti destaca que a elevação da confiança do consumidor brasileiro em novembro - comportamento típico do período pós-eleitoral - ajudou o varejo. “Passada a incerteza da eleição, o consumidor que estava postergando compras, por não saber exatamente o rumo do País, ficou mais à vontade, inclusive para comprar a prazo”, opinou o líder paulista ao enfatizar que no mês de Dezembro, o Índice Nacional de Confiança do Consumidor, analisado pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP) subiu 4 pontos. “Não tenho dúvidas de que a disputa eleitoral ajudou, no final, a dar mais esperança para o povo em geral”, arrisca Manoel Batista de Oliveira.
Por fim, o presidente da ACSP chama atenção para o crescimento de 4,8% no segmento de tecidos, vestuário e calçados, motivado pelas temperaturas mais elevadas na maior parte do Brasil, ajudando a moda primavera-verão. “As estações do ano, que estão perdendo os conceitos de calor, frio, chuvas e seca, ainda contribuem para o aquecimento das vendas”, disse o vice-presidente da associação comercial de Marília que acredita numa temporada positiva para o comércio em geral no ano de 2019. “Temos todas as condições possíveis de superar a crise econômica, e a partir de momento do fortalecimento do poder de compra do consumidor, o comércio voltará aos seus melhores dias”, disse animado o dirigente mariliense.