Classificado, MAC precisa se manter líder para jogar em casa na 2ª fase

Se perder para o Cruzeiro, Marília deverá fazer seu próximo jogo em Assis

O Marília Atlético Clube (MAC) é o único do ‘Grupo 3’ já classificado para a 2ª fase da Copa São Paulo Junior. Hoje, às 17h, contra o Cruzeiro-MG, no estádio Bento de Abreu (transmissão do Sportv), pela última rodada, o Maquinho irá definir apenas se avançará como líder ou como 2º colocado. O empate já garante a ponta da tabela e a permanência na cidade, para o próximo confronto, que deverá acontecer na sexta-feira (dia 11) ou no sábado (12).

Caso o Cruzeiro vença, o Marília terminará na 2ª colocação e deverá realizar seu confronto da 2ª fase, em Assis, no estádio Antônio Viana da Silva, contra o líder do ‘Grupo 4’, que atualmente é o time da casa: o Vocem (seis pontos), que tem a mesma pontuação do vice Sport-PE. Ambos estão classificados e se enfrentam amanhã para definir a 1ª posição.

O regulamento da Copinha não diz nada sobre o líder de cada grupo ter a vantagem de continuar na sede após a 1ª fase, ou se o clube-sede pode seguir em casa independente da colocação em que se classifique. “Por enquanto não nos foi passado nada sobre a definição de local para a 2ª fase. O que sabemos é que os classificados do ‘Grupo 3’ vão enfrentar os do ‘4’ (sede em Assis). Eu sei é que se formos líder, é certo que vamos continuar em Marília. Já se ficarmos em 2º lugar eu não tenho certeza, porque o mando é da Federação Paulista de Futebol (FPF) e ela irá decidir o critério”, explicou o supervisor do MAC, José Luiz Todeschini.

O parágrafo 2 do artigo 2, do regulamento da Copa São Paulo, realmente deixa a decisão nas mãos da Federação. “Competirá ao DCO (Departamento de Competições) a designação dos mandos de campo da competição, indicando os locais dos jogos de acordo com critérios técnicos, de segurança e/ou de logística”.

“No momento nós só estamos pensando na classificação, pois ainda precisamos garantir a vaga. Claro que se conquistarmos o objetivo, temos uma preferência por ficar em Marília, por conta da estrutura que a cidade oferece e a qualidade do gramado”, declarou o técnico do Cruzeiro, Ricardo Resende.

O técnico maqueano Daniel Sabino vê com necessidade a permanência do time na cidade. “Seguir jogando no Abreuzão passa a ser mais importante do que saber quem nós vamos enfrentar na 2ª fase, porque o apoio da nossa torcida é fundamental”, frisou.

Históricos de decisões

Em 2016, o Maquinho se classificou em 2º lugar no grupo em casa, com o Cruzeiro-MG na liderança. Por questões de segurança, a Federação manteve o MAC no Abreuzão (contra o Coritiba-PR), porque o emparelhamento era com o grupo de Bauru e o rival Noroeste também havia avançado em 2º lugar e teria que jogar em Marília, diante dos mineiros

Já em 2017, a Federação deu prioridade aos líderes de grupos. O Maquinho se classificou em 2º lugar e atuou contra o Paraná-PR (acabou eliminado por 6 a 1) em Penápolis, enquanto que o Penapolense (2º lugar do outro grupo) veio a Marília enfrentar a Ponte Preta (perdeu pelo mesmo placar). No ano passado, o MAC avançou na liderança do grupo e não precisou depender do “bom senso” da FPF, para jogar a 2ª fase em casa.