Saúde conta 72 acidentes no ano com escorpião, mas sem gravidade

Neste ano o Município já registrou 72 acidentes com escorpião. Não houve maior gravidade nos casos, mas a Saúde alerta a população para os cuidados preventivos. O animal peçonhento costuma se abrigar em meio à vegetação, entulhos e especialmente materiais de construção, podendo utilizar dutos de esgoto e água pluvial como passagem. A maior parte dos relatos em 2018 foi proveniente da zona norte, e

Neste ano o Município já registrou 72 acidentes com escorpião. Não houve maior gravidade nos casos, mas a Saúde alerta a população para os cuidados preventivos. O animal peçonhento costuma se abrigar em meio à vegetação, entulhos e especialmente materiais de construção, podendo utilizar dutos de esgoto e água pluvial como passagem.
A maior parte dos relatos em 2018 foi proveniente da zona norte, especialmente na região do bairro Santa Antonieta. As condições ambientais favoráveis são as que a vegetação está mais próxima das habitações. E todo acúmulo de materiais, como de construção, sendo entulhos ou pilhas de materiais novos, pode ser um risco. Isso por conta de oferecer abrigo aos escorpiões.
Esses animais peçonhentos não gostam de claridade. Durante o dia procuram lugares escuros e úmidos para se proteger. Dentro das casas podem ser encontrados em buracos e frestas nas paredes, muros, rodapés soltos e forros de madeira. No entanto, a atenção deve estar em toda parte.
E como os dutos de água e esgoto servem de passagem, o risco de contato com o escorpião se amplia, sendo aconselhável pela Saúde Municipal a vedação de portas e janelas.
Assim como sacudir sapatos e roupas antes de usá-los, não guardar objetos embaixo das camas, afastar as camas das paredes, manusear com cuidado telhas, tijolos e lenhas acumulados, e usar botas e luvas quando estiver capinando ou trabalhando com jardinagem. Também se deve manter a moradia sempre limpa, livre de lixo acumulado e entulho. Além de tapar buracos e frestas das paredes e verificar o telhado.
Os escorpiões se alimentam de aranhas e insetos e os sapos e galinhas são seus predadores. O animal peçonhento tem um ferrão na ponta da cauda e o veneno pode causar acidentes graves em crianças e idosos, incluindo até a morte, como há casos na região.
De total de 72 notificações de acidentes com escorpiões registradas pela Secretaria Municipal da Saúde neste ano, 57 foram de natureza leve e as demais moderadas. Não houve casos graves em Marília em 2018. Diante de qualquer contato com escorpião deve-se dirigir aos serviços de emergência.