Governo estuda elevar quantidade de voos no aeroporto de Congonhas

Estudo prevê aumentar de 34 para 39 os pousos e decolagens no aeroporto por hora. Número foi restringido após acidente com avião da TAM em 2007

O Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil afirmou na última quarta-feira (28) que o governo estuda aumentar o número de slots - autorizações para pousos e decolagens - no aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

Segundo o ministério, o aumento faz parte de um estudo de mudanças na malha aérea de São Paulo e está sendo discutido pela Secretaria de Aviação Civil, pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) e consultores internacionais.

O DECEA é o órgão militar responsável pelo controle de voos. É o responsável por fixar a capacidade das pistas de pouso e decolagem de cada aeroporto.

O ministério informou ainda que a alteração em estudo deve elevar de 34 slots por hora para até 39, ou seja, haveria autorização para mais 5 pousos ou decolagens por hora no terminal.

As restrições ao aeroporto de Congonhas foram impostas após o acidente com o avião da TAM, em julho de 2007, que causou a morte de 199 pessoas. Antes do acidente, o aeroporto operava mais 40 horários de pousos ou decolagens por hora.

O aeroporto fica na área central de São Paulo e, em geral, as passagens para o terminal são mais caras, por causa da localização.

Congonhas é administrado pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). Chegou a ser incluído no programa de concessões de aeroportos do Programa de Parceria de Investimentos (PPI), mas foi retirado.