Mulheres são destaque no Prêmio Sexy Hot 2018

Mila Spook é a primeira diretora a ganhar o Oscar pornô brasileiro

A atriz e diretora Mila Spook tornou-se, na noite da última terça-feira (9), a primeira mulher a vencer a categoria Melhor Direção no Prêmio Sexy Hot, conhecido como o Oscar pornô brasileiro. Com apresentação de Leo Jaime e homenagem a Mr. Catra, a cerimônia de entrega aconteceu em São Paulo.

Ao subir no palco para receber o troféu, Mila não disfarçou a timidez e confessou muito nervosismo e fez discurso contra a ideia de que atrizes entram no ramo por “falta de opção”. "É muito importante para mim, também como atriz, estar ganhando esse prêmio, para mostrar que nós somos capazes disso e que esse estereótipo de que a gente escolheu esse meio porque não teve outra opção - isso é muito errado", discursou Mila.

Além de Mila, a categoria teve como indicada outra mulher, May Medeiros. O terceiro concorrente era o único homem da disputa. Mila Spook recebeu ainda o troféu da categoria seguinte, considerada a mais importante da noite: Melhor Filme Hétero. Ela levou o prêmio por "(Des)Conectados”.

Também foram destaques a estrela Emme White (Melhor Cena de Sexo Oral, Melhor Cena de Sexo Anal e Melhor Cena Homo Feminina), Patricia Kimberly (Melhor Cena de Ménage, Melhor Cena de Orgia e Melhor Atriz Homo) e May Medeiros, expoente do pornô feito para mulheres e diretora do filme "Serviço completo", que faturou na categoria Melhor Cena Homo.

Com o tema "We Love Porn" ("Nós amamos pornô"), o 5º Prêmio Sexy Hot, teve 14 categorias. O público escolheu, pela internet, os ganhadores de 11 delas, no site oficial do evento. Nas outras três - Melhor Direção, Melhor Filme Hétero e Melhor Cena Homo Feminina - quem escolheu os vencedores foi um júri técnico formado por Tatiana Presser (psicóloga especialista em sexo), Eduardo Mendes (editor e idealizador do blog Testosterona) e Elcio Coronato (diretor e apresentador de TV).