Dória foca segurança e reforça oposição ao PT

O candidato a governador do Estado de São Paulo, João Dória (PSDB), esteve em Marília ontem de manhã. Ele caminhou pelo centro da cidade acompanhado do prefeito Daniel Alonso (mesmo partido) e de candidatos a deputado federal e estadual da cidade. Dória focou a segurança pública e afirmou categoricamente sua oposição “sistemática e dura” ao PT e ao candidato à Presidência da República pelo PT, Fer

O candidato a governador do Estado de São Paulo, João Dória (PSDB), esteve em Marília ontem de manhã. Ele caminhou pelo centro da cidade acompanhado do prefeito Daniel Alonso (mesmo partido) e de candidatos a deputado federal e estadual da cidade. Dória focou a segurança pública e afirmou categoricamente sua oposição “sistemática e dura” ao PT e ao candidato à Presidência da República pelo PT, Fernando Haddad.
Dória caminhou pelas ruas do centro e tomou um café na Nove de Julho, onde realizou uma coletiva de imprensa. Ele focou a segurança pública, reforçando o tom agressivo contra o crime. “Comigo bandido não vai ter vez, todo bandido terá um tratamento muito duro da Polícia Militar e Civil. Direitos humanos são para as pessoas que trabalham, para as famílias e para os policiais que têm que ser protegidos na sua integridade física. Bandido que enfrentar policial vai para o chão, e o que não enfrentar vai para a cadeia”.
Ele afirmou que vai dobrar o policiamento da região, incluindo as Polícias Civil e Militar, além de estruturar as delegacias “no padrão Poupatempo” e criar mais 40 delegacias da Mulher, com plantão 24 horas em todas as regiões do estado.
“Já no mês de janeiro vamos colocar a disposição das mulheres um aplicativo da Mulher que desenvolvemos, com instalação em menos de dois minutos no celular e gratuito, para que elas possam ser atendidas num raio de dez quilômetros pela unidade mais próxima da Polícia Civil ou Militar”, disse Dória.
O candidato quer a redução da maioridade penal. “Não é razoável, nem aceitável que bandidos de 16, 17 anos assassinem pessoas, mutilem pessoas, depois vão para a Fundação Casa para uma pena leve”. E Dória defende o trabalho pelos presos do sistema prisional para que paguem por seu custo. “Não será a sociedade, feita de pessoas de bem, que vai pagar a estadia de bandido”. Na Fundação Casa ele defende a reeducação e o ensino profissionalizante para as crianças infratoras, além de orações “para pacificar o coração”.
Oposição ao PT
Sobre um possível apoio ao candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, num segundo turno, João Dória destacou que até domingo seu candidato é o tucano Geraldo Alckmin. Mas reiterou que não vota no PT. “Vamos por parte, ainda estamos no primeiro turno. A partir do dia 8, segunda-feira, segundo turno, outra história. Quero deixar muito claro aqui, no PT não voto e não votarei, ao contrário, farei oposição sistemática e dura ao PT e ao preguiçoso do Fernando Haddad. Ganhei dele a Prefeitura de São Paulo no primeiro turno. Ele não se reelegeu porque é fraco e mau gestor. Chega de PT, fora PT”.
João Dória continuou seu ataque ao PT quando falou sobre seu oponente, o candidato ao Governo do Estado de São Paulo, Márcio França (PSB). “Não quero e não preciso do apoio dessa esquerda socialista e mentirosa que o Márcio França representa. Ele é defensor do Lula, foi contra o impeachment da ex-presidente Dilma, foi líder no Congresso Nacional pelo PSB do ex-presidente e agora presidiário Lula. A página do PSB na Internet tem a expressão Lula Livre. Eu não quero o Lula livre, quero o Lula preso”.
O candidato acrescentou que a segurança pública é uma de suas prioridades porque não se pode mais tolerar a “bandidagem institucionalizada, desde bandidos como Lula, que está na cadeia e deve continuar, até outros bandidos que acham que podem continuar praticando crimes aqui em São Paulo e continuarem livres”.
Agronegócio e Saúde
O candidato também mencionou outros assuntos, como agronegócio e Saúde. Ele prometeu asfaltar vicinais, as cooperativas de financiamento através do BNDES para a produção e o apoio aos institutos de pesquisa agropecuária para a melhora a qualidade da produção, do rendimento para o produtor e do preço final.
Dória garantiu que haverá um trabalho sistemático de proteção à saúde, primeiro nos hospitais regionais, depois nas Santas. “O esforço conjunto permite compras a um menor custo e uma melhor eficiência na gestão pública de saúde”.
O programa Corujão da Saúde foi uma promessa do candidato para a região de Marília, voltado a exames de imagem. “Foi um grande sucesso em São Paulo, onde zeramos um déficit de quase meio milhão de pessoas que aguardavam para fazer exames básicos. Com recursos do Estado, a Prefeitura contrata tomografias, ultrassonografias e radiografias pela tabela SUS em hospitais privados”. Dória também prometeu o programa Remédio Rápido, para melhorar o abastecimento na rede pública.