Hospital Unimar pede conscientização para reduzir faltosos

O grande número de faltosos, durante mutirões de saúde promovidos em Marília, foi um dos assuntos abordados durante a audiência pública na Câmara Municipal, nesta quinta-feira (27). Segundo a superintendente do HBU, Márcia Mesquita Serva, o índice chega a 30% e prejudica os trabalhos. Ela pediu conscientização à população. “A Secretaria Municipal da Saúde, em um grande esforço, conseguiu recursos

O grande número de faltosos, durante mutirões de saúde promovidos em Marília, foi um dos assuntos abordados durante a audiência pública na Câmara Municipal, nesta quinta-feira (27). Segundo a superintendente do HBU, Márcia Mesquita Serva, o índice chega a 30% e prejudica os trabalhos. Ela pediu conscientização à população. “A Secretaria Municipal da Saúde, em um grande esforço, conseguiu recursos para cirurgias em várias especialidades e dividiu conosco esta responsabilidade. Mobilizamos nossas equipes e vamos otimizar para fazer o máximo possível de procedimentos. Nossa intenção é zerar a fila”, disse Márcia.
O hospital pretende acionar equipes aos sábados e domingos, cancelar férias e fazer outras medidas excepcionais para as cirurgias eletivas (agendadas), mas é fundamental que o paciente compareça ou manifeste a desistência antecipadamente.
“Em muitos casos, a pessoa confirma o agendamento, mas não comparece. Estamos conseguindo um ‘olhar público’ para o hospital e feito muitas cirurgias eletivas, graças a emendas parlamentares e temos observado uma ausência de até 30%, o que prejudica o mutirão”, afirmou Márcia.
Ela relatou ainda que há casos em que, durante os atendimentos pré-cirúrgico ou cirúrgico, são feitos diagnósticos de tumores que os pacientes sequer imaginavam, tamanha a importância dos mutirões de saúde.
“Nestas filas tem muita gente que fez algum tipo de tratamento, contornou a situação, mas que ainda precisa da cirurgia. Tem que passar pelo médico. Não é porque está sem dor, que está tudo bem e pode ignorar essa oportunidade”, disse a superintendente do HBU.

SANTA CASA
A secretária municipal da Saúde, Kátia Santana, afirmou que a questão dos pacientes faltosos também foi relatada por outros prestadores de serviços de saúde, como a Santa Casa de Marília. Mutirão de exame oftalmológico de refração para verificar necessidade de óculos ou não em crianças em idade escolar oferece 520 vagas desde o mês passado na Santa Casa de Marília. Em alguns sábados, o número de faltosos chegou a 50%.
“Quem está aguardando um procedimento precisa se manter atualizado junto à unidade de saúde. Informações como endereço e telefone de contato não podem faltar. É importante sempre que receber a ligação ou a visita dos agentes, expor eventual dificuldade em relação à data de agendamento que está sendo proposta”, disse a secretária.