Cultura tem inscrições abertas para oficina gratuita do Pontos MIS

A Secretaria da Cultura está com inscrições abertas para a oficina gratuita “Como Fazer Entrevistas Melhores para Documentários” do Programa Pontos MIS. As inscrições devem ser feitas no Auditório Municipal, com Helder, pelo telefone 3413-6925. Serão disponibilizadas 20 vagas para pessoas acima de 15 anos.

A Secretaria da Cultura está com inscrições abertas para a oficina gratuita “Como Fazer Entrevistas Melhores para Documentários” do Programa Pontos MIS. As inscrições devem ser feitas no Auditório Municipal, com Helder, pelo telefone 3413-6925. Serão disponibilizadas 20 vagas para pessoas acima de 15 anos.

A oficina será ministrada por Bruno Carneiro e acontecerá no próximo dia 26, das 13h30 às 17h30, na Sala de Projeção "Emílio Peduti Filho" (Av. Sampaio Vidal 245 - piso superior, entrada pelo Museu de Paleontologia).

Uma parceria entre o Museu da Imagem e do Som - MIS e as cidades do Estado de São Paulo, o “Pontos MIS” é um programa de circulação e difusão audiovisual que visa promover a formação de público e a circulação de obras do cinema. Estabelecendo parcerias para criar pontos de difusão audiovisual espalhados pelo Estado.

A OFICINA

Hoje é simples realizar um documentário. Os recursos estão disponíveis e os filmes podem ser exibidos para muita gente via internet. Com toda a força da linguagem audiovisual, documentários são caminhos para compreender aquilo que é diferente, para conhecer outros pontos de vista, para manter a atenção e o respeito à diversidade da vida.

Entrevistas são a base da maioria dos documentários. Portanto saber entrevistar é essencial para realizar filmes significativos. Para os espectadores, pode parecer fácil realizá-las. Mas existem conhecimentos que, se aplicados com sensibilidade, transformam uma entrevista em algo especial. O objetivo desta oficina é ensinar e praticar esses conhecimentos.

O OFICINEIRO

Bruno Carneiro é formado em Cinema e Vídeo pela Universidade de São Paulo. Desde o ano 2000 exerce principalmente as funções de diretor, roteirista e assistente de direção em formatos variados de audiovisual.

Diretor de 21 documentários, e também roteirista em quase todos eles. Diretor e roteirista de cinco curtas-metragens ficcionais que participaram de festivais nos Estados Unidos, Alemanha, Japão, Coreia do Sul, Portugal, entre outros países.

Os filmes receberam prêmios como "Melhor filme", "Melhor roteiro" e "Prêmio revelação" em alguns dos maiores festivais brasileiros — Festival de Brasília, Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Diretor de programas para TV, comerciais e vídeos corporativos. Assistente de direção em 12 documentários, dirigidos por realizadores como Cao Hamburger. Participou das equipes de assistência de direção em cinco longas-metragens ficcionais, entre eles "Bicho de Sete Cabeças", de Laís Bodanzky.

Lecionou cursos semestrais de cinema documental na Escola Livre de Cinema e Vídeo de Santo André (SP) por quatro anos. Lecionou cinema ficcional e documental na Escola São Paulo por dois anos, onde também foi coordenador de um curso anual. Deu workshops de direção no Sesc Arsenal (Cuiabá, MT) e Sesc Natal (RN), e estrutura narrativa no Cinesesc (SP).