Relatório será lido em plenário e encaminhado ao MP e Tribunal de Contas

O relatório final da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que apurou as causas do perecimento de sete toneladas de carne na Cozinha Piloto municipal será lido em plenário na sessão de amanhã (27) da Câmara. Após a leitura o relatório será encaminhado ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas. O relatório concluiuque a falta de pagamentos e de planejamento, além de problemas na câmara fria

O relatório final da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que apurou as causas do perecimento de sete toneladas de carne na Cozinha Piloto municipal será lido em plenário na sessão de amanhã (27) da Câmara. Após a leitura o relatório será encaminhado ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas.  

O relatório concluiuque a falta de pagamentos e de planejamento, além de problemas na câmara fria da Cozinha Piloto são apontados como aspectos determinantes para o perecimento da carne. Entre os responsáveis está o prefeito Daniel Alonso (PSDB). 

O vereador Luiz Eduardo Nardi (PR), que presidiu a CPI da carne, explica que o relatório final já foi aprovado pelos próprios membros da CPI e não necessita ser aprovado em votação pelos vereadores. O relatório é apenas lido em plenário e em seguida será encaminhado para o Tribunal de Contas e o Ministério Público e também algum outro órgão que solicite. 

Nardi explicou que o Ministério Público abriu um inquérito civil para apurar o perecimento das sete toneladas de carne e que o relatório final da CPI poderá contribuir para subsidiar o inquérito. No caso do Tribunal de Contas, o órgão deve solicitar explicações do prefeito Daniel Alonso sobre as conclusões da CPI. 

A CPI da carne estragada foi instaurada dia 27 de fevereiro e depois de 90 dias de trabalho foi prorrogada por igual período para conclusão das investigações. Foram realizadas visitas a escolas municipais, reunidos documentos e colhidos depoimentos de funcionários, secretários municipais e do ex-secretário da Educação, Beto Cavalari.