Candidato ao Senado, Mário Covas Neto defende reformas previdenciária e política

O candidato ao Senado Mário Covas Neto (PODE) esteve ontem em Marília e defendeu a necessidade da realização das reformas previdenciária e política o quanto antes. O filho do ex­-governador Mário Covas ouviu as demandas regio­nais de lideranças locais e no período da tarde visitou a redação do Jornal da Ma­nhã.

“Vamos ter de fazer estas reformas para avançar. O Brasil hoje precisa melhorar seu orçamento. Como fazer isso? Aumentando tributos não dá, mesmo porque a massa tributária já é bem pesada e, portanto, a saída é cortar despesas”, salientou Covas Neto.

Gastos desnecessários como manter uma empresa com investimentos de R$ 10 milhões anuais para cuidar do trem bala precisam ser banidos, conforme o candi­dato do PODE. “Foram 90 estatais criadas no período do PT no governo federal”.

Covas Neto destacou que as demandas regionais não são diferentes do restante do Estado. “Os municípios carecem de investimentos em Saúde, Educação e Segu­rança Pública, mas se o País não tiver orçamento para investir fica difícil colocar projetos em prática”.

Vereador em São Paulo pelo segundo mandato con­secutivo, o filho do ex-go­vernador Mário Covas con­tou porque deixou o PSDB depois de 29 anos. “Demos uma lição em São Paulo ao realizar as prévias em que o João Doria Júnior foi esco­lhido candidato a prefeito (e venceu a eleição). Sou fun­dador do PSDB, mas infeliz­mente o partido hoje tem donos. O partido perdeu sua identidade, sua ética. Ao in­vés do PSDB modificar a po­lítica, a política modificou o PSDB. Escolhi o PODEMOS porque não tem os vícios de outros partidos e por ter a Renata Abreu como presi­dente nacional da sigla, que inclusive fez com que o nú­mero de deputados federais aumentasse de quatro para 18 e de senadores chegasse a cinco”.

Sobre as chances de se eleger, Covas Neto disse que o pleito será extremamente difícil, mesmo com as desis­tências dos candidatos José Luís Datena (DEM) e Marta Suplicy (MDB).

Vale lembrar que os dois candidatos mais votados se elegem pelo Estado de São Paulo. Na última pesquisa do Ibope, Eduardo Suplicy (PT) é o que tem mais in­tenções de voto (29%) e com as desistências de Datena e Marta, o filho do ex-gover­nador Mário Covas vem a seguir (14%).

O PODE faz parte da co­ligação de apoio à reeleição do governador Márcio Fran­ça (PSB) e em âmbito nacio­nal, terá candidato próprio à Presidência da República, o ex-senador e ex-governador do Paraná, Álvaro Dias.

Durante o cumprimento de agenda em Marília, Mário Covas Neto esteve acompa­nhado do vereador Evandro Galete (PODE), de outros candidatos do partido e de seus assessores.

Covas Neto comentou so­bre o curto período de cam­panha eleitoral. “Estou per­correndo o interior de São Paulo desde 11 de maio. A partir de quinta-feira (15 de agosto) poderemos começar a pedir voto. Teremos um bom tempo de TV e rádio por conta da nossa coligação com o partido do governador Már­cio França em São Paulo”.