Governador confirma AME para Marília

O governador Márcio França (PSB) confirmou ontem a vinda do AME (Ambulatório Médico de Especialidades) para Marília. Na próxima semana uma equipe técnica da Secretaria Estadual de Saúde virá ao município para definir o local de instalação. O Bloco 10, na Unimar, que pertence à Prefeitura, é o mais provável. “Estou aqui para reafirmar meu compromisso da instalação do AME Mais em Marília. Nós já a

O governador Márcio França (PSB) confirmou ontem a vinda do AME (Ambulatório Médico de Especialidades) para Marília. Na próxima semana uma equipe técnica da Secretaria Estadual de Saúde virá ao município para definir o local de instalação. O Bloco 10, na Unimar, que pertence à Prefeitura, é o mais provável. 
“Estou aqui para reafirmar meu compromisso da instalação do AME Mais em Marília. Nós já autorizamos e eu sei que agora está essa dúvida de onde vai ser. Espero que a gente possa resolver isso rapidamente, semana que vem os técnicos da Saúde irão para Marília examinar qual é o melhor lugar. Tem um prédio da Prefeitura que podia ser, se o prefeito concordar a gente faz no prédio, mas se não der vou compreender. Tem um novidade boa que é a Famema, que autorizou a instalação do AME Mais. Inclusive talvez seja até mais rápido ali, porque tem uma estrutura de hospital”, disse o governador em um vídeo que gravou ao lado do deputado estadual Abelardo Camarinha e do ex-prefeito de Marília, Vinícius camarinha, ambos do PSB.
A proposta de trazer o AME para Marília foi apresentada uma semana atrás pelo deputado Camarinha ao prefeito Daniel Alonso (PSDB). Já com a recomendação do local, o Bloco 10 na Unimar.
Como a Prefeitura tinha outros projetos para esse prédio, sugeriu quatro imóveis do próprio Estado, em situação de abandono na cidade, ou o endereço atual da Codemar, que poderia ser transferida de local. Essas opções foram mencionadas como impróprias pelo deputado estadual, que conseguiu uma manifestação positiva da Famema. A instituição reiterou seu interesse em comportar o AME.
Daniel Alonso aceita ceder o Bloco 10, mas pediu em ofício uma avaliação técnica, o que será feita na próxima semana pela Secretaria de Estado da Saúde. Até o momento o Governo não informou a razão do Bloco 10 ter sido considerado a opção ideal em detrimento das outras opções apresentadas pelo prefeito Daniel Alonso.