Marília participa de ação contra o sarampo

Marília participa da campanha nacional contra o sarampo, antecipada para 4 de agosto. Os 677 casos registrados no país com a volta da doença levaram o Ministério da Saúde a intensificar a vacinação e a divulgação sobre a relevância de se respeitar o calendário vacinal. O imunizante oferece proteção individual e coletiva. Em Marília, a cobertura vacinal tem aumentado nos últimos anos. Em 2017 a BC

Marília participa da campanha nacional contra o sarampo, antecipada para 4 de agosto. Os 677 casos registrados no país com a volta da doença levaram o Ministério da Saúde a intensificar a vacinação e a divulgação sobre a relevância de se respeitar o calendário vacinal. O imunizante oferece proteção individual e coletiva.
Em Marília, a cobertura vacinal tem aumentado nos últimos anos. Em 2017 a BCG (contra a Tuberculose) atingiu 100% dos recém-nascidos moradores no município. O alcance da vacina contra a pólio subiu de 64,59% em 2016 para 85,51% em 2017.
A tríplice viral, que inclui o sarampo, havia registrado cobertura de 68,54% (1ª dose) e 51,61% (2ª dose) em 2016, subiu para 81,46% e 73,45%, respectivamente, no ano passado. “Estes números mostram melhora, porém ainda é preciso buscar índices maiores, para a segurança das crianças”, informou a enfermeira responsável pelo Programa de Imunização local, Renata Rodrigues Plácido.
Todas as crianças que já completaram um ano e tem menos de cinco são aguardadas durante a campanha, mesmo as que já tomaram a vacina. É importante, segundo ela, apresentar a caderneta de vacinação e o cartão do SUS (Sistema Único de Saúde). “Infelizmente temos visto, no Brasil e no mundo, novos casos de doenças que já estavam praticamente erradicadas. Todos têm responsabilidade”, disse Renata.
O Brasil chegou a ter o certificado de eliminação do sarampo, pela OMS (Organização Mundial de Saúde). Em 2016. Os últimos casos da doença tinham sido os de julho de 2015, com um surto no Ceará. Mas a transmissão voltou neste ano, com 2.724 em investigação e 677 pacientes confirmados.
Amazonas e Roraima lideram com maior número de infecções, com 444 e 216 casos, respectivamente, estando relacionados à importação de casos de outros países, como Venezuela. Em São Paulo só houve um registro, mesmo assim a doença está de volta em seis estados do Brasil e os municípios aderem à campanha nacional para evitar que a transmissão se espalhe e aumente.
A ação começa no dia 4 de agosto, um sábado, sendo o Dia D de mobilização quando as unidades de saúde abrem excepcionalmente. E segue até o final do mês. A Secretaria Municipal da Saúde alerta, porém, que os imunobiológicos estão disponíveis na rede de saúde o ano todo e fazem parte do calendário vacinal.
Devem procurar as unidades de saúde pais ou responsáveis com todas as crianças com mais de um ano e menos de cinco anos de idade. Devido a novos casos de sarampo no Brasil e ameaça da pólio no mundo, neste ano o Ministério da Saúde reforça a divulgação das duas vacinas, sem deixar de lado a atualização das demais, que também fazem parte do esquema vacinal.
Esquema vacinal
Toda criança que completa dois meses precisa tomar a primeira dose da vacina contra a pólio. Aos 12 meses, é necessária a aplicação da tríplice viral, que protege contra o sarampo, caxumba e rubéola. A segunda dose da tríplice é aplicada três meses depois.
A relação completa das unidades de saúde do município pode ser acessada no site institucional da Prefeitura de Marília, pelo endereço encurtado https://bit.ly/2J0BdKK link “estrutura organizacional”.
O acesso às vacinas independe do território de residência, porém é importante apresentar caderneta de vacinação e o cartão do SUS. A Secretaria Municipal atende pelo (14) 3402-6500.