Publicitária morre com suspeita de H1N1 no dia do aniversário

A publicitária Patrícia do Carmo Luccyano, de 38 anos, foi sepultada ontem no Cemitério da Saudade com suspeita de H1N1. Ela passou duas semanas internada na Santa Casa, onde passou por coleta de sangue para confirmar a contaminação. O óbito teria ocorrido em decorrência de um quadro de broncopneumonia, com agravos renais e infecção. Patrícia era solteira e não tinha filhos. Ela morreu no dia do s

A publicitária Patrícia do Carmo Luccyano, de 38 anos, foi sepultada ontem no Cemitério da Saudade com suspeita de H1N1. Ela passou duas semanas internada na Santa Casa, onde passou por coleta de sangue para confirmar a contaminação. O óbito teria ocorrido em decorrência de um quadro de broncopneumonia, com agravos renais e infecção.
Patrícia era solteira e não tinha filhos. Ela morreu no dia do seu aniversário (16 de julho) e foi velada ontem no Velório Municipal, com enterro às 14 horas. Amigos próximos mencionaram que o exame de contágio do vírus H1N1(gripe Influenza A) foi feito em função da broncopneumonia. A coleta, nesse caso, é enviada ao Instituto Adolfo Lutz, responsável pela análise.
A publicitária era hipertensa. Seu quadro evoluiu para complicações renais. Além disso, ela teria contraído uma bactéria que, pelo seu estado de saúde debilitado, gerou uma infecção agravante, que culminou no seu falecimento.
Por sua idade, Patrícia não se encaixava no público-alvo da Campanha Nacional de Vacinação contra Gripe. 
A Secretaria Municipal da Saúde tem a confirmação de oito casos de SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) em Marília neste ano, sendo dois por contaminação do vírus H1N1, três por N3N2 e um por Influenza B. Os outros dois casos não puderam ser definidos (subtipados).
Entre os registros houve dois óbitos com agravos da SRAG, mas Patrícia Luccyano não está entre eles porque não há confirmação do contágio até o momento. E a Vigilância Epidemiológica do Município ainda não tinha sido notificada da suspeita. As duas pessoas contaminadas que morreram são um aposentado de 83 anos e uma mulher com aproximadamente 50. Várias suspeitas que surgiram neste ano foram descartadas e não são consideradas.
Os vírus Influenza A, B ou C (todos da gripe) são transmitidos por pessoas infectadas com facilidade, mas o tipo C é brando, não sendo preocupante. Já o A e o B têm histórico de agravos e de alta contaminação, com epidemias e pandemias, como foi o caso do H1N1 e H3N2.