Museu Índia Vanuíre, de Tupã, apresenta exposição autonarrativa Kaingang durante o Encontro Paulista

Quinta-feira (19), às 8h, o público do 10º Encontro Paulista de Museus (EPM) - que acontece de 18 a 20 deste mês no Memorial da América Latina, em São Paulo, recebendo representantes de instituições culturais do Brasil e do mundo - poderá conhecer mais sobre a primeira exposição autonarrativa Kaingang, feita pelo Museu Índia Vanuíre - instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, g

Quinta-feira (19), às 8h, o público do 10º Encontro Paulista de Museus (EPM) - que acontece de 18 a 20 deste mês no Memorial da América Latina, em São Paulo, recebendo representantes de instituições culturais do Brasil e do mundo -  poderá conhecer mais sobre a primeira exposição autonarrativa Kaingang, feita pelo Museu Índia Vanuíre - instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerida em parceria com a Organização Social de Cultura ACAM Portinari (Associação Cultural de Apoio ao Museu Casa de Portinari) - e pelo grupo de moradores da etnia na terra indígena Vanuíre, localizada em Arco-Íris (SP).

A mostra "Fortalecimento da Memória Tradicional Kaingang - de Geração em Geração", produzida em 2015, estará disponível em uma sessão ao vivo de aproximadamente sete minutos para apresentação e outros 30 minutos para interações do público, no Foyer do Auditório Simón Bolívar.

A produção do material foi uma demanda do próprio grupo indígena, que buscava expor sua visão sobre a confecção da cerâmica tradicional de sua etnia e, dessa forma, de sua preservação para as futuras gerações. A curadoria foi do indígena José da Silva Campos. e permaneceu em cartaz na instituição de julho a outubro de 2015, retornando em maio de 2016 e permanecendo até junho de 2018.

Todos os textos da mostra "Fortalecimento da Memória Tradicional Kaingang - de Geração em Geração" são bilíngues (Kaingang e português). A exibição da filmagem de todo o processo de construção dos artesanatos, com a narração dos próprios indígenas, faz parte do material exposto. Nele, o público pode conferir desde as ferramentas utilizadas para a confecção das cerâmicas (pilão, cabaça e pinça) até a finalização das peças.

Os objetos e as imagens fotográficas compuseram a montagem e proporcionaram um panorama mais detalhado da especificidade da técnica usada pelos Kaingang e da importância da exposição para preservação e difusão dessa cultura.

Localizado em Tupã (SP), o Museu Histórico e Pedagógico Índia Vanuíre é uma instituição Governo do Estado administrada pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo em parceria com a ACAM Portinari (Associação Cultural de Apoio ao Museu Casa de Portinari), Organização Social de Cultura, com sede em Brodowski (SP). Fundado em 1966 e instalado em um prédio construído especialmente para abrigá-lo, o museu possui acervo, com cerca de 38 mil peças, relacionado à história da região onde está localizado e com foco na cultura indígena, possuindo uma das mais importantes coleções etnográficas do país que representam diferentes comunidades indígenas brasileiras. Mais informações no site www.museuindiavanuire.org.br