Reunião discute sugestões para mudanças em decreto

Reunião realizada ontem pelo presidente da Emdurb (Empresa Municipal de Mobilidade Urbana de Marília) , Valdeci Fogaça Oliveira e o engenheiro de trânsito, Rogério Antônio Alves, com representantes de diferentes setores, discutiu propostas para implementação do serviço de zona azul na cidade. Apesar de no último sábado ter sido publicado no Diário Oficial, decreto regulamentando o serviço, o pr

Reunião realizada ontem pelo presidente da Emdurb (Empresa Municipal de Mobilidade Urbana de Marília) , Valdeci Fogaça Oliveira e o engenheiro de trânsito, Rogério Antônio Alves,  com representantes de diferentes setores, discutiu propostas para implementação do serviço  de zona azul na cidade.
Apesar de no último sábado ter sido publicado no Diário Oficial, decreto regulamentando o serviço, o presidente da Emdurb afirmou que as diretrizes podem ser modificadas antes de ser aberto o edital de licitação.
Participaram da reunião representantes da Polícia Militar, Acim (Associação Comercial e Industrial de Marília), agentes de trânsito, vereadores,  representantes do Hospital das Clínicas e outros.
Os vereadores José Luiz Queiróz e Wilson Damasceno questionaram a reunião para busca de sugestões após a publicação do decreto no Diário Oficial. “Deveríamos ter tido acesso ao estudo realizado antes da publicação do decreto”, disse Damasceno. “O edital é baseado no decreto. A partir do momento que vai se abrir o edital ele tem que estar vinculado ao decreto”, disse Queiróz.
O presidente da Emdurb, garante que será possível alterar pontos do decreto antes da elaboração do edital de abertura de licitação. “Com base nesta reunião vamos construir o edital de licitação”, disse Fogaça. Ele afirmou que não há previsão de quando o novo modelo de zona azul será implementado em Marília.
O superintendente da Acim, José Augusto Gomes, falou que seria importante que a zona azul voltasse a funcionar de forma rápida. “A zona azul se arrasta desde novembro do ano passado e o prejuízo para o comércio é grande. O anseio é que seja implantada o mais rápido possível”, disse.
Conforme o decreto, a tarifa a ser praticada será de R$ 1,50 por hora e fica garantido ao usuário a possibilidade de aquisição de tarifa de estacionamento de uma ou duas horas de permanência. No sistema digital, que deve ser implantado em Marília, o motorista carrega um valor em créditos e o valor pago será proporcional ao tempo de utilização da vaga.
Um dos principais pontos abordados foi com relação a ampliação dos locais onde haverá estacionamento com zona azul, conforme consta no decreto, como nos arredores do Hospital das Clínicas, Hemocentro e do fórum.
Luiz Carlos de Paula e Silva, da diretoria do complexo Famema, participou da reunião e pediu que o entorno dos hospitais não fosse visto como uma área comercial. “A população que vai ao HC é uma população humilde, muitos vem de outros municípios. Em saúde já temos baixa adesão aos tratamentos e quando colocamos dificuldades  a situação fica ainda pior”, disse.
O diretor da Emdurb disse que v ai  haver adequações nas ruas a serem atendidas, tendo em vista que algumas delas não foram contempladas no decreto, de acordo com solicitação da Acim. Por outro lado, outras ruas serão excluídas a pedido da Famema, como nas imediações do Hemocentro e do Hospital de Clínicas.” Com relação à região do Fórum, houve consenso de que a implantação da zona azul em uma das laterais será importante”, afirmou Fogaça.
Segundo o presidente da Emdurb, após este encontro, o próximo passo será a elaboração do edital. “Depois será feito o processo licitatório e aí as empresas que tenham condições de competir dentro do cenário que pleiteamos, que é a Zona Azul Digital com várias plataformas de pagamento, possam se inscrever. Portanto, agora será a formalização administrativa e jurídica, sendo que o prazo para a implantação será de acordo com as regras do processo de licitação”, disse Valdeci Fogaça.