Prata em 2017, badminton quer o ouro nos Regionais em Marília

Técnica Vitória Soares disse que delegação será maior que no ano passado

 

Apesar de pouco conhecido no Brasil, o badminton é um esporte olímpico e desde 2017 faz parte dos Jogos Regionais do Interior, que acontecem em Marília entre os dias 3 e 14 de julho. Na cidade a modalidade é um dos projetos sócio esportivos da Secretaria de Esportes, Lazer e Juventude (SELJ) e vem sendo praticado há um ano e meio, no Clube dos Bancários. Na temporada passada o município foi medalha de prata nos Regionais por equipes no masculino e no feminino (perdeu ambas as finais para Palmital) e bronze nos Abertos. No entanto, o esporte ainda não conta pontos para a classificação geral por cidades.

A equipe mariliense treina quatro vezes por semana e para esta edição terá uma delegação maior: serão 11 representantes (seis homens e quatro mulheres) – cinco a mais que em 2017. “Quando disputamos os Regionais do ano passado tínhamos meses de prática e mesmo assim conseguimos o vice por equipes. Agora estamos melhores tecnicamente e também participaremos das modalidades individuais e de duplas. A chance da medalha de ouro é grande”, destacou a técnica e jogadora de Marília, Vitória Fernanda Soares Vieira.

Vitória frisou que a realização dos Jogos Regionais na cidade vai ajudar a alavancar o badminton. “Espero que Marília passe a conhecer mais esse esporte e que tenhamos novos adeptos, não somente para competições, mas também para a diversão, pois temos o projeto social esportivo. Para nós atletas, competir em casa aumenta nossa responsabilidade, contudo nossos familiares poderão ver de perto esse esporte que praticamos”, comentou.

Bruno Aparecida Soares da Silva, de 15 anos, deixou o tênis de mesa para começar a praticar o badminton e será uma das representantes da cidade nos Jogos Regionais. “É estranho, pois já na primeira vez que eu joguei, me apaixonei. O fato de alguns movimentos serem semelhantes ao tênis de mesa me ajudou na adaptação e acredito que eu possa brigar por medalha, mesmo tendo começado a praticar há menos de seis meses”.

Ex-atleta de vôlei, João Vitor Gutierrez, de 22 anos, também ingressou no badminton e pratica o esporte há um ano e meio. Em 2017, ele venceu as cinco partidas que disputou nos Jogos Regionais e ajudou a cidade a conquistar o vice-campeonato. “Esse ano, jogando em casa, com mais integrantes e a melhora no nível técnico, acredito que nossas chances de medalha de ouro são grandes nas três modalidades (equipes, duplas e individual). Além disso, contaremos com o apoio da família e dos amigos. Isso nos incentivará ainda mais”, explicou.