Região de Marília se destaca na criação de novas vagas

Pesquisa de nível de emprego da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) divulgada ontem, mostra que a região de Marília está entre as que apresentaram crescimento na geração de empregos nos últimos 12 meses. A pesquisa mostra que as indústrias da região de Marília tiveram saldo positivo de 2,79% no nível de emprego. Somente n

Pesquisa de nível de emprego da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) divulgada ontem, mostra que a região de Marília está entre as que apresentaram crescimento na geração de empregos nos últimos 12 meses.
A pesquisa mostra que as indústrias da região de Marília tiveram saldo positivo de 2,79% no nível de emprego. Somente  no mês de março foram 250 contratações e o acumulado de 2018 já soma 700 contratações.
Segundo o  diretor do Ciesp de Marília, Chikao Nishimura, os setores que mais criaram vagas foram de alimentação, máquinas e equipamentos, móveis e borracha e material plástico. Ele afirma que a recuperação da indústria em 2018 será lenta mas em âmbito nacional a situação é estável. “ O PIB (Produto Interno Bruto) teve crescimento modesto e as empresas com abrangência nacional têm essa força de abrangência de mercado atingindo todo Brasil”, disse.
Conforme a pesquisa, os dados obtidos em 12 meses indicam comportamento positivo em 13 diretorias regionais, negativo em 20 e praticamente estável em 2 diretorias. As que mais se destacaram entre os comportamentos positivos foram: Mogi das Cruzes (8,07%); Limeira (3,41%); Araraquara (3,40%); Marília (2,79%) e Diadema (1,69%).
As diretorias que mais se destacaram negativamente foram: Araçatuba (-10,46%); Santos (-10,06%); Botucatu (-9,31%); Jacareí (-7,98%) e São João da Boa Vista (-7,09%).  Para São Paulo – Capital, a variação foi de -4,45%. 
Os dados gerais mostram que a  indústria paulista criou 10 mil postos de trabalho em março, com resultado superior ao do mesmo mês no ano passado, quando foram criadas 9.500 vagas. No ano, houve acréscimo de 23 mil postos. É o maior saldo no primeiro trimestre de um ano desde 2013, quando foram criadas 34.500 vagas.
O setor sucroalcooleiro também se destacou e devido à época de safra de cana-de-açúcar, teve saldo positivo de 5.183 vagas (52% do total dos novos postos industriais).