Trote Solidário revitaliza escola estadual

A Unimar (Universidade de Marília) realizou ontem seu ‘Trote Solidário’ na Escola Estadual José Alfredo de Almeida, na zona Sul da cidade. Alunos calouros e veteranos realizaram durante todo o dia, ações de revitalização na escola, como pintura dos muros, montagem de horta comunitária e de jardim, revitalização de espaços, doação de equipamentos e palestras de conscientização. Todos os anos a Uni

A Unimar (Universidade de Marília) realizou ontem seu ‘Trote Solidário’ na Escola Estadual José Alfredo de Almeida, na zona Sul da cidade. Alunos calouros e veteranos realizaram durante todo o dia, ações de revitalização na escola, como pintura dos muros, montagem de horta comunitária e de jardim, revitalização de espaços, doação de equipamentos e palestras de conscientização.
Todos os anos a Unimar promove o ‘Trote Solidário’ com o objetivo de integrar os acadêmicos, docentes e a comunidade, incentivando práticas sociais e estimulando a conscientização contra o trote violento.
A atividade na EE José Alfredo de Almeida foi liderada pelos cursos de Arquitetura, Engenharias e Agronomia. Segundo o professor Fernando Netto, coordenador do curso de Arquitetura, foi montado um grande painel externo no muro da escola com cerca de 300 metros quadrados,  inspirado nas obras do artista brasileiro Athos Bulcão. Também foi criada na escola uma horta comunitária e o projeto e execução do ‘Jardim dos Sentidos’, um espaço de convivência totalmente revitalizado com palmeiras, cascata e peixes.
A ação contou com a participação de 185 alunos de todos os cursos da Unimar e cerca de 250 alunos da escola José Alfredo de Almeida. “Estamos há uma semana trabalhando com palestras com os alunos da escola, sobre a conscientização da arte do grafite e para evitar a pichação. Trouxemos vídeos, os alunos também participaram com ideias. Estamos sentindo que vai haver um mudança clara no comportamento a partir destas ações”, disse Netto.
A pró-reitora de Ação Comunitária da Unimar, Fernanda Mesquita Serva, também esteve na escola e disse que a atividade demonstra a parceria da Unimar com a comunidade. O Trote Solidário começou com o início do ano letivo em fevereiro, com atividades de acolhimento aos calouros, campanha de estímulo a doação de sangue e revitalização de praças.
“Essa atividade na escola José Alfredo é muito importante tanto para os alunos da Unimar como para os alunos da escola. Temos calouros e veteranos que se integram com os alunos. Aproximamos a Unimar da comunidade e esse é nosso diferencial. As atividades extra-muro da universidade, não apenas a parte pedagógica mas também o envolvimento humano dos alunos”, disse a pró-reitora.
Fernanda Serva afirma que a Unimar tem planos para atingir quatro escolas anualmente no processo de revitalização. “Já temos o trabalho de formação, com cursos, palestras, para desenvolver as potencialidades dos alunos do ensino médio. E também é uma forma de aproveitarem a oportunidade para escolherem a profissão”, disse.
A diretora da EE José Alfredo de Almeida, Maria Fernanda Ferreira, disse que a ação de revitalização  realizada pela Unimar é de extrema importância para melhorar o ambiente escolar oferecido aos alunos. A escola tem 410 alunos e diretora assumiu a unidade há um ano em uma situação difícil, com altos índices de violência, ocorrência de drogas e baixos índices de avaliação no Idesp (Índice de Desenvolvimento da Educação de São Paulo).
“Sempre acreditei nesta escola que tem um prédio excelente, um bom entorno e fui buscar a união de todos, pais, alunos, diretoria de ensino, comunidade, para ajudar a melhorar. Fomos normatizando e a situação foi melhorando”, disse a diretora. Em um ano a escola melhorou o índice de avaliação no Idesp. Em 2016 a nota da escola foi 1,56 e a meta para 2017 era 1,78 (para o 9º ano). Em 2017 a avaliação subiu para 2,63. “Nosso indicador mudou muito em um ano e o impacto desta atividade irá repercutir muito nos alunos, principalmente no aspecto da redução da violência”, disse a diretora.
ALUNOS APROVAM
Para os alunos que participaram do ‘Trote Solidário’, a ação é importante para aproximá-los dos problemas enfrentados pela comunidade e participar de soluções. Mariana Serapião, aluna do 1º termo de agronomia, disse que o ‘Trote Solidário’ também torna os alunos mais humanos. “Acho muito importante, é uma atividade gratificante fazer algo pelos outros. Contribui para experiência e também com a parte emocional dos alunos”, disse.
Bárbara Kari e Vitória Yumi, alunas do 9º termo de Arquitetura também aprovaram a iniciativa. “Achei muito bom essa parte prática. Acho que é uma forma de ajudarmos a melhorar a situação das escolas”.
Quem estuda na escola José Alfredo de Almeida também gostou da ideia de ter uma escola mais bonita. “Achei legal pintar o muro, gosto de desenhar. E a escola vai ficar muito melhor”, disse Kaike Henrique Inácio da Silva, de 13 anos, aluno do 8º ano.