Famema quer regularizar plantões de saúde

A Faculdade de Medicina de Marília quer regularizar os plantões nos hospitais vinculados à instituição. Uma comissão foi constituída para avaliar a sua execução. Segundo a Famema, a portaria anterior, de 2011, precisa ser revista, visando a organização e controle dos plantões presenciais em cada especialidades médica. A comissão foi constituída de servidores e publicada ontem no Diário Oficial do

A Faculdade de Medicina de Marília quer regularizar os plantões nos hospitais vinculados à instituição. Uma comissão foi constituída para avaliar a sua execução. Segundo a Famema, a portaria anterior, de 2011, precisa ser revista, visando a organização e controle dos plantões presenciais em cada especialidades médica.
A comissão foi constituída de servidores e publicada ontem no Diário Oficial do Município, junto a uma portaria conjunta entre as autarquias Famema (Faculdade de Medicina de Marília) e HC/Famema (Assistência em Saúde), além das fundações ligadas à instituição, Fumes e Famar.
Foi dado prazo de 30 dias para que a avaliação dos plantões seja executada e concluída, com um envio de relatório à direção das autarquias e fundações. Deverão ser consideradas a execução, disponibilidade e gestão dos plantões presenciais nos hospitais e a distribuição dos plantões de acordo com as especialidades e com os profissionais.
A medida foi cumprida porque a direção da Famema informou que vem ocorrendo falhas na cobertura da necessidade total dos plantões em áreas específicas. E a regulamentação institucional a respeito é de 2011. “Há necessidade de se revisar as normas para a execução dos plantões presenciais e de disponibilidade nos hospitais da Faculdade de Medicina de Marília”.
Deverão constar no relatório a ser desenvolvido ao longo dos próximos 30 dias o não cumprimento do registro de intervalo de descanso durante o plantão, o esquecimento de registro biométrico, relativo à entrada e saída do plantão, a entrada após o horário e a saída antecipada do horário de plantão.
A Famema trabalha por uma normativa atualizada que elimine ocorrências como a execução de plantão por profissional que se encontra afastado por qualquer motivo (afastamento, férias), a não comunicação da troca de dia de plantão e o não cumprimento de prazos estipulados para a devolução dos relatórios de ocorrência, interferindo na elaboração da folha de pagamento.