Biblioteca Municipal tem vários programas permanentes

A partir deste mês de abril a Biblioteca Municipal oferece 13 programas permanentes voltados à diversos públicos: infantil, juvenil, adultos, idosos e pessoas com deficiência.

A partir deste mês de abril a Biblioteca Municipal oferece 13 programas permanentes voltados à diversos públicos: infantil, juvenil, adultos, idosos e pessoas com deficiência. Todas as atividades têm como o foco principal o incentivo à leitura.  Cada Programa terá a duração de 6 a 12 meses e são realizados semanalmente. Mais informações e inscrições na Biblioteca Municipal, que fica na rua São Luiz, 1.295, esquina com a rua São Carlos.

As bibliotecas públicas de um modo geral podem ser visualizadas como espaços sociais planejados, com o objetivo de estimular a formação do hábito de leitura no indivíduo e o seu desenvolvimento pessoal e social, através de atividades e serviços culturais e informacionais. A natureza eclética dos usuários a frequentar esse ambiente, estimula o desenvolvimento de atividades e serviços diversificados.

A partir da concepção da “Biblioteca Viva”, que oferece programas e ação cultural para todas as idades, tendo como proposta ser uma biblioteca de pessoas, disponibilizando literatura atualizada, em um ambiente inovador e acessível, a proposta dos Programas Permanentes, visa o aperfeiçoamento e o fortalecimento das práticas desenvolvidas na Biblioteca Municipal “João Mesquita Valença” e a implantação de novas ações que atendam aos interesses da comunidade mariliense.

Os programas oferecidos são: Androidando (informática), Arteterapia, Cinemãe, Espanhol, Espanhol para Pessoa com Deficiência, Hora do Conto, Informática Terceira Idade na Era Digital, Leitura para Gestantes, Pintura para Pessoa com Deficiência, Visitas Monitoradas e Yoga. 

Cada Programa terá a duração de 6 a 12 meses e são realizados semanalmente. Mais informações e inscrições na Biblioteca Municipal, que fica na rua São Luiz, 1.295, esquina com a rua São Carlos.

JANELA LITERÁRIA

No primeiro sábado de cada mês, das 9h às 13h, acontece na Biblioteca Municipal o Programa Janela Literária, com várias atrações como oficinas artísticas, lançamento de livros, apresentações de música, dança, contação de histórias, exposições de fotografias, desenho, pintura...

LEIA MULHERES

O projeto Leia Mulheres surgiu em 2014 quando a escritora Joanna Walsh propôs o projeto #readwomen2014 (#leiamulheres2014) que consistia basicamente em ler mais escritoras.

Em 2015, Juliana Gomes convidou as amigas Juliana Leuenroth e Michelle Henriques para transformarem a ideia de Joanna Walsh em algo presencial em livrarias e espaços culturais. Um convite a leitura de obras escritas por mulheres, de clássicas a contemporâneas.

Atualmente, são inúmeros grupos espalhados por todo Brasil. No primeiro encontro em Marília, realizado no último dia 7 na Biblioteca Municipal, o livro escolhido foi "Frankenstein" da escritora britânica Mary Shelley, clássico da ficção científica que em 2018 completa 200 anos de publicação.

O primeiro encontro do Clube de Leitura Leia Mulheres em Marília teve como mediadoras Ana Xavier - bacharela em Biblioteconomia e mestranda em Ciência da Informação pela Unesp  e Raisa Oliveira - mestranda em Letras na Unesp e professora de Língua Portuguesa na rede estadual de ensino.

EXPOSIÇÕES

A exposição “Pioneiros do Teatro Amador de Marília”, com fotos, livros, publicações e troféus do acervo particular de Guilherme Boassali mostrando a história dos grupos, os destaques, as premiações  do teatro amador em Marília. Apoio: Comissão de Registros Históricos de Marília. Até 30 de abril (Piso 2).

Até o próximo dia 23, está aberta ao público uma mostra de livros e artesanato indígenas, com acervos da Biblioteca Municipal e  do Museu Histórico e Pedagógico, no Piso 2.

Até 30 de abril, no Piso 3, quem passar pela Biblioteca poderá também ver a mostra fotográfica “Cascata: água de beber, sede de viver!”, com  coletânea de fotos de Ivan Evangelista Junior sobre a Represa Cascata de Marília, que já foi a principal fonte de abastecimento de água potável da cidade.

No Piso 2, também até 30 de abril, acontece a exposição “Marília”, com obras  do artista plástico autodidata Juraci Neris, que retrata em seus quadros, aspectos interessantes da história da cidade.

“LIXO VIRA ARTE”

No dia 26, às 10h, acontece a abertura da exposição “Lixo vira arte”, coordenada pelo artista plástico Marcelo Rodolfo de Mattos, que reúne trabalhos produzidos do lixo reciclado tais como, papelão, jornal, faixas de rua reutilizadas e tintas em oficina oferecida aos adolescentes em Cumprimento de Medidas Socioeducativas do Centro Pop Centro Comunitário São Judas Tadeu, objetivando socializar seus  integrantes e trabalhar a autoestima através do fazer artístico. A mostra ficará aberta ao público  até o dia 30, no Piso 1.