Segundo Sol, a próxima novela das 9

Trama de João Emanuel Carneiro, com direção artística de Dennis Carvalho e direção geral de Maria de Médicis, mostrará ao público a chance de um novo começo

Recomeçar. Reconstruir. Refazer. Ou desfazer, desconstruir, começar de novo. Essas ações poderiam conduzir as vidas de Beto Falcão (Emílio Dantas), Luzia (Giovanna Antonelli) e muitos outros personagens da próxima novela das 9, Segundo Sol, que estreia em maio. Ambientada na Bahia, entre Salvador e a fictícia Boiporã, a história de João Emanuel Carneiro traz duas fases separadas por 18 anos. E é justamente o tempo que vai dar o pontapé para que os personagens se movam e busquem seus objetivos de forma ativa, sem esperar que o destino decida por eles.

O início: entre 1999, 2000 e 2001

Salvador, fim dos anos 90. O axé embala o Carnaval da Bahia - sempre! Só que quem está em plena decadência é Beto Falcão, que estourou com o sucesso "Axé Pelô", hit que fez cantar um país inteiro em 94. Agora, o cachê vem devagar. E para pagar parte das dívidas da família, aceita fazer uma pequena apresentação em Aracaju. Numa maré de azar - que salvará sua vida -, Beto perde o voo e a apresentação. O avião que ele pegaria cai, e o cantor é dado como morto.

A comoção é nacional. Do fracasso, Beto Falcão reencontra a fama, mas dessa vez na categoria de mito. Em segredo, vê sua imagem ser ovacionada e os problemas financeiros da família se solucionarem. Convencido pela namorada, Karola (Deborah Secco), e pelo irmão, Remy (Vladimir Brichta), de que se manter "morto" é a melhor opção, ele deixa a cidade.

Já em Boiporã, nosso protagonista assume nova identidade e se apaixona pelo amor de sua vida: Luzia. A bela marisqueira, que cuida sozinha do casal de filhos pequenos, corresponde aos sentimentos de Miguel - como Beto se apresenta. Mas, com a ajuda de Laureta (Adriana Esteves), Karola vai separar o casal e desestruturar a família de Luzia.

2018: o tempo e suas consequências

É a chegada de Luzia na Bahia depois de 18 anos que vai provocar encontros e reencontros. A batalha para reunir sua família despedaçada vai também combinar com o fato de nem imaginar que Miguel, o amor que jamais esqueceu, é o famoso Beto Falcão. Ele, por sua vez, sustenta até hoje a farsa de sua morte e anda infeliz com os rumos que a vida tomou. Mas é justamente por saber de seu retorno a Salvador que vai conduzir seu destino.

"É uma novela densa, emotiva, mas ao mesmo tempo solar, sensual, bem brasileira e com muito humor", adianta o diretor artístico Dennis Carvalho. E é com o tempero baiano de lugares fascinantes, alegria do povo, tradições culturais e religiosas, culinária e música que tudo é ambientado, como completa a diretora artística Maria de Médicis: "Temos atores baianos e estamos fazendo uma preparação intensa em todo o nosso time para que o suingue contagiante da Bahia esteja sempre presente".