Projeto Sensibilizarte completa uma década

O Projeto Sensibilizarte, voltado à humanização do ambiente hospitalar e dos profissionais de saúde através da arte, completa uma década de atuação. O trabalho social, vinculado à Famema, não tem fins lucrativos, sendo desenvolvido por alunos de Medicina e Enfermagem nos hospitais vinculados à faculdade. A fundação do projeto foi em 2008 por acadêmicos de Medicina que se inspiraram no trabalho de

O Projeto Sensibilizarte, voltado à humanização do ambiente hospitalar e dos profissionais de saúde através da arte, completa uma década de atuação. O trabalho social, vinculado à Famema, não tem fins lucrativos, sendo desenvolvido por alunos de Medicina e Enfermagem nos hospitais vinculados à faculdade.
A fundação do projeto foi em 2008 por acadêmicos de Medicina que se inspiraram no trabalho de mesmo nome da Universidade Estadual de Londrina (UEL). Música, artesanato, contação de histórias e apresentações de palhaços estão entre as atividades artísticas aplicadas na humanização hospitalar.  Os grupos voluntários visitam pacientes infantis e adultos, em especial com diagnóstico importante ou grave, e beneficiam também os acompanhantes.
“O projeto, que ainda está em crescimento, conta hoje com mais de 90 voluntários e já é reconhecido pela faculdade, pela cidade de Marília e por estudantes de Medicina de todo o mundo”, disse a orientadora Márcia de Souza Lima Moreira Alves. No ano de 2012, o trabalho ficou em terceiro no lugar no Concurso Mundial de Projetos de Estudantes de Medicina, realizado pela IFMSA, na cidade de Acra, em Gana. Em 2011, no Chile, ganhou como melhor projeto do mundo nesse mesmo concurso.
O SensibilizArte foi reconhecido e consagrado como projeto internacional da IFMSA Brazil, uma organização estudantil mundial ligada à Organização Mundial de Saúde (OMS) e à Organização das Nações Unidas (ONU).
O V Simpósio de Humanização da Faculdade de Medicina da Marília marca essa década do projeto, sendo realizado no dia 2 de maio, às 19 horas, na Casa do Médico. O evento será aberto aos interessados e contará com palestras sobre temas relacionados à humanização da saúde realizadas por profissionais locais e convidados, como o médico Daniel Marconi do Hospital de Câncer de Barretos.
O simpósio contribui para a formação humanizada de acadêmicos e para a humanização de profissionais de saúde. Além da Famema, Unimar e Unesp irão participar. O evento não visa lucros. O valor das adesões, R$ 15,00, será destinado exclusivamente para os custos da sua realização. As inscrições serão feitas no local e horário do evento.
O Sensibilizarte é desenvolvido por alunos de Medicina e Enfermagem da Famema, do primeiro ao último ano, sob a orientação da psicóloga Márcia de Souza Lima Moreira Alves. O trabalho é voluntário e acontece nos finais de semana nos hospitais vinculados à faculdade, das Clínicas, Materno Infantil e São Francisco.