Santa Casa de Marília é premiada no 1º Fórum Somos SUStentáveis com trabalho sobre o cuidador

A Santa Casa de Misericórdia de Marília foi premiada no 1º Fórum Somos SUStentáveis da Fehosp (Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo), realizado no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo, no dia 12 de março. O hospital ficou em primeiro lugar no eixo “Qualificação da Gestão”, com trabalho intitulado “Qualificando o cuidado em saúde: o empoderamento do cuid

A Santa Casa de Misericórdia de Marília foi premiada no 1º Fórum Somos SUStentáveis da Fehosp (Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo), realizado no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo, no dia 12 de março.
O hospital ficou em primeiro lugar no eixo “Qualificação da Gestão”, com trabalho intitulado “Qualificando o cuidado em saúde: o empoderamento do cuidador pela equipe multiprofissional de saúde”.
O diretor de Gestão e Desenvolvimento Institucional da Santa Casa de Marília, Márcio Mielo e a fonoaudióloga Luciana Cláudia Leite Flosi dos Santos, explanaram para um público de mais de mil representantes de hospitais filantrópicos do Estado de São Paulo. Eles falaram sobre o objetivo, o método, os resultados, discussões e a conclusão.
“Queremos promover ações de capacitação, integração e socialização de cuidadores de pacientes de longa permanência, empoderando-os com conhecimentos necessários para o desenvolvimento do cuidado seguro ao paciente no dia a dia e após a alta hospitalar. Desta forma, estamos qualificando a alta responsável, contribuindo para a humanização do cuidado e colocando o cuidador e o paciente como sujeitos ativos no seu processo de reabilitação e cura”, ressaltou Márcio Mielo.
Na prática, são realizados encontros semanais entre a equipe multidisciplinar e cuidadores de pacientes de longa permanência, cuja doença impôs mudanças significativas em sua autonomia e nas atividades de vida diária. “Há uma apresentação do grupo e posteriormente dos cuidadores e seus respectivos vínculos com o paciente hospitalizado, história da doença que o acometeu e como era sua vida antes da doença. As demandas trazidas pelos cuidadores são discutidas pela equipe multiprofissional, que faz as intervenções necessárias junto aos cuidadores e por vezes junto aos pacientes no leito”, enfatizou Luciana Flosi.
A maioria dos cuidadores é do sexo feminino (78%) e a doença mais prevalente é o AVC (Acidente Vascular Cerebral). O processo educativo mostra-se eficiente na melhoria e segurança do cuidado diário ou domiciliar após a alta.
As reuniões com os cuidadores de pacientes de longa permanência proporcionam a construção de vínculos que promovem melhor qualidade de vida ao doente através de ensinamentos práticos de rotinas do cuidado hospitalar, visando a corresponsabilização da família/cuidador no processo terapêutico.
Participaram como autores do programa, além de Márcio Mielo e Luciana Flosin, os seguintes colaboradores: Clotilde Carvalho de Souza, Eliane Amanda Simões Elias, Fabíola da Silva Bezerra, Kelly Cristina Pollon, Livia Ladeia Druzian do Carmo, Lourival dos Santos, Lucas Eduardo Guimarães, Luciana Alzane Rufin, Luciane Pereira Marques, Marcos Aurélio Alves Filho, Marlene Rossi Oliveira, Rubiana Gonçalves Konkiewitz e Valdirene Tenório Costa Alegria.
A Santa Casa de Marília também apresentou durante o evento case com o tema “Redução de IRAS (Infecção Relacionada à Assistência à Saúde) em UTI (Unidade de Terapia Intensiva) Pediátrica e Neonatal: A gestão compartilhada”. O trabalho concorreu no eixo “Qualificação da Assistência e Segurança do Paciente”.
O Fórum
O 1º Fórum Somos SUStentáveis da Fehosp teve como principal foco mostrar as ações em gestão de saúde pública que aprimoram o atendimento à população através do programa Santas Casas SUStentáveis, do Governo do Estado de São Paulo.
O secretário estadual da Saúde David Uip e o secretário da Saúde da cidade de São Paulo Wilson Pollara, prestigiaram o Fórum realizado pela Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo.
O presidente da Fehosp, Edson Rogatti, lembrou da importância do SUStentáveis para as Santas Casas do Estado. “Espero que este programa sirva de modelo para todo o Brasil, pois está fazendo a diferença nos hospitais filantrópicos na capital e no interior de São Paulo. Vale destacar o comprometimento dos participantes com os cases apresentados. Tivemos total de 69 trabalhos inscritos e todos com muita qualidade e importância. Os palestrantes convidados foram do mais alto gabarito, trazendo conhecimentos importantes, ajudando assim os gestores e os colaboradores destes importantes hospitais prestadores de serviços para o SUS”.
O superintendente da Santa Casa de Marília, Sérgio Stopato Arruda, mencionou a importância da discussão de temas pertinentes e da valorização do trabalho dos hospitais filantrópicos. “O Fórum mostrou a evolução das Santas Casas participantes do programa da Secretaria Estadual de Saúde, Santas Casas SUStentáveis, e a importância nos avanços em termos de gestão, humanização e segurança dos pacientes, demonstrados pelos trabalhos de cada instituição. Ficamos muito felizes em ter apresentado dois trabalhos e termos um premiado em primeiro lugar e fazemos questão de parabenizar todos os colaboradores envolvidos”.
Palestras
A coordenadora do Centro de Estudos em Planejamento e Gestão de Saúde da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas, Ana Maria Malik, ministrou palestra sobre “Mudanças estratégicas para constituição de redes de atenção à saúde”.
A assessora da Secretaria Estadual da Saúde, Eliana Ribas, veio na sequência e destacou o tema: “Humanização”.
No período da tarde, a diretora executiva do Instituto de Radiologia do HC (Hospital das Clínicas) da FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), Marisa Madi, enfatizou: “A importância dos indicadores para a medição dos resultados e aprimoramento de gestão”.