Nelci Seibel - Membro da Academia Joinvilense de Letras

Recepção no aeroporto do Recife - Em Recife, capital de Pernambuco, uma das cidades mais carnavalescas do Brasil, o Aeroporto dos Guararapes recebeu os turistas de forma muito peculiar, no último dia 28 de janeiro.

 

Recepção no aeroporto do Recife

Em Recife, capital de Pernambuco, uma das cidades mais carnavalescas do Brasil, o Aeroporto dos Guararapes recebeu os turistas de forma muito peculiar, no último dia 28 de janeiro. Pela esteira de bagagem vinham sombrinhas - símbolo do folclore pernambucano - personalizadas com os nomes dos passageiros que desembarcavam dos aviões. Malas enfeitadas também giravam na esteira, de onde saíam personagens do frevo, além de que o saguão estava e continua com decoração especial para o carnaval. Os turistas foram recepcionados por passistas, papangus e uma orquestra, motivando alguns turistas a darem seus passos do ritmo. Uma calorosa recepção!

 

Gastronomia em Prudentópolis

Conhecida como “Terra das Cachoeiras Gigantes” e berço da colonização ucraniana no Estado do Paraná, Prudentópolis, vai realizar de 20 a 22 de abril próximo seu I Festival de Gastronomia Eslava. Prudentópolis faz parte da região turística Terra dos Pinheirais, região Centro-Sul do Estado, a 207 km de Curitiba. A imigração de ucranianos para a região durou até meados da década de 1920, atualmente considerado o município mais ucraniano do Brasil - 80% da população local.

 

Um pouco de história

No dia 31 de janeiro de 1542, o aventureiro espanhol Álvar Núñez Cabeza de Vaca admirou as Cataratas do Iguaçu, na fronteira do Brasil com a Argentina. De acordo com os relatos históricos, foi ele o primeiro homem branco a contemplar a atração, que mais tarde seria parte essencial do Parque Nacional do Iguaçu, depois ganharia o reconhecimento de Patrimônio Natural da Humanidade e, por último, o título de Maravilha Mundial da Natureza. Por ironia do destino, Cabeza de Vaca descobriu tudo isso acidentalmente. As Cataratas do Iguaçu surgiram no caminho dos aventureiros, quando desciam o Rio Iguaçu em uma canoa para chegar a Assunção, capital do Paraguai. Da passagem dele pela região ficaram algumas marcas, entre elas a conclusão de que a América era um continente. Cabeza de Vaca faz parte também da história de Santa Catarina, amplamente mencionado em registros e livros sobre São Francisco do Sul, Barra Velha e regiões adjacentes.

 

Cabeza de Vaca recebeu Memorial

Uma sala, localizada no interior do Marco das Três Fronteiras - Argentina,  Brasil e Uruguai convida os visitantes para uma viagem de cinco minutos em uma projeção tecnológica que narra com detalhes a riquíssima história da formação deste que é um dos lugares mais singulares do mundo. A experiência sensorial possibilita o envolvimento do turista com a formação. Mais informações no site www.marcodastresfronteiras.com.br

 

Amázzoni Gin premiado

O Brasil tem pobreza, desemprego, corrupção, etc., etc. Mas também tem produtos de ponta. Um deles é o “gin premium” que, com menos de um ano de existência concorre em quatro categorias no World Gin Awards, que ocorre no próximo dia15, em Londres, na Inglaterra. Produzido com ingredientes retirados da Floresta Amazônica, nunca antes explorados na produção desse tipo de destilado, o Amázzoni Gin tem a oportunidade de levar a cultura brasileira para o mundo. A nomeação pode render ao Amázzoni Gin o título de melhor London Dry do mundo, disputado por outros 19 países, sendo Brasil e Bolívia os únicos representantes da América do Sul.

Amázzoni Gin em garrafa artesanal

Os vencedores de cada uma das nove categorias ainda concorrerão a mais nobre das qualificações: Melhor Gin do Mundo. O Amázzoni Gin também está na disputa pelos prêmios de Marca Inovadora do Ano, Produtor Artesanal do Ano e Destilaria Atração do Ano. O sócio-fundador do Amázzoni, Arturo Isola, afirma que ter a marca selecionada para a premiação já é uma vitória. “Foram meses de muitos testes, degustações e competição acirrada, considerando que o Brasil nunca chegou tão longe em um concurso internacional nesse nicho”, conta. O Amázzoni é um gin 100% artesanal, produzido exclusivamente com ingredientes naturais, com características típicas da cultura brasileira. O gin premium é produzido na primeira destilaria independente do Brasil, localizada no interior do estado do Rio de Janeiro. A garrafa, que também é artesanal, a partir de vidro reciclado, já conquistou dois ouros: no Prêmio ABRE da Embalagem Brasileira e no Prêmio Grandes Cases de Embalagem. Sob o comando dos empresários Alexandre Mazza e Arturo Isola, o Amázzoni Gin foi lançado em março de 2017 e já é vendido em sete estados brasileiros, incluindo os três estados do Sul. Saiba mais no site www.mcommdigital.com.br.