Marcos Rezende vai ao Ministério do Trabalho verificar situação da Legião Mirim

O vereador Marcos Rezende (PSD) foi ontem ao Ministério Público do Trabalho em Bauru verificar a situação da Legião Mirim de Marília, entidade que anunciou o encerramento das atividades e a demissão de cerca de 35 jovens que faziam a venda de cartelas da zona azul. Segundo o vereador, não há nenhuma determinação do Ministério Público do Trabalho que impeça a Legião Mirim de fazer o cadastramento

O vereador Marcos Rezende (PSD) foi ontem ao Ministério Público do Trabalho em Bauru verificar a situação da Legião Mirim de Marília, entidade que anunciou o encerramento das atividades e a demissão de cerca de 35 jovens que faziam a venda de cartelas da zona azul.
Segundo o vereador, não há nenhuma determinação do Ministério Público do Trabalho que impeça a Legião Mirim de fazer o cadastramento de cursos profissionalizantes a adolescentes, da forma como a entidade realizava no passado. “A Legião Mirim firmou um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) com o Ministério Público  e cumpriu. Não tem mais nenhuma exigência. Sinto que a fiscalização do Ministério do Trabalho de Marília está inviabilizando uma entidade de 54 anos. Ela assinou o TAC, cumpriu as exigências e a fiscalização não libera o cadastro dos cursos”, disse.
Marcos Rezende afirma que a liberação dos cursos pelo Ministério do Trabalho iria viabilizar o encaminhamento de jovens pela Legião Mirim. O vereador disse ser favorável a modernização do sistema de funcionamento da zona azul através de aplicativos mas acredita que seja possível incluir a Legião Mirim nesse sistema.  O projeto que prevê a mudança no sistema de venda de cartelas em Marília está na Câmara. “Tenho três emendas ao projeto para que amplie a participação de entidades civis”, disse.