Ex-Tiazinha é escalada para Jesus, novela bíblica que estreia em junho na Record

A direção de teledramaturgia da Rede Record já está se concentrando na sua próxima produção bíblica, a substituta de Apocalipse, que precisou ser adiantada devido ao fracasso alcançado pela atual novela exibida no horário nobre.

A direção de teledramaturgia da Rede Record já está se concentrando na sua próxima produção bíblica, a substituta de Apocalipse, que precisou ser adiantada devido ao fracasso alcançado pela atual novela exibida no horário nobre.

Suzana Alves é um dos primeiros nomes confirmados no elenco de Jesus, a sucessora de Apocalipse na faixa das 21h do canal. A ex-Tiazinha teria um papel de destaque em Topíssima, novela que acabou sendo cancelada. O novo folhetim bíblico tem estreia prevista para junho.

Ao contrário do que todos imaginavam, a novela Apocalipse não correspondeu as expectativas da Rede Record e muito menos do público. As constantes mudanças e os supostos ataques à igreja católica fizeram com que anunciantes recuassem e afastassem os telespectadores.

Criada para ser um sucesso com diversos atores vindos da Rede Globo, Apocalipse virou uma das maiores piadas da Record. Juntou-se a tramas rejeitadas da emissora paulista como Máscaras, Balacobaco e Dona Xepa. Por conta disso, a trama bíblica já tem data definitiva para o término. Está decidido pelo canal de Edir Macedo que a novela de Vivian de Oliveira, chegará ao fim em junho. Foram eliminados 60 capítulos e não se espante se esse final for antecipado ainda mais.

SÍMBOLO SEXUAL

Projetada na mídia por Luciano Huck, no extinto programa “H”, na Band, a  personagem Tiazinha (Suzana Alves) foi considerada como um dos maiores símbolos sexuais do Brasil no final da década de 1990.

Segunda capa mais vendida da revista Playboy, aos 38 anos, Suzana já foi assistente de palco de Sérgio Mallandro, repórter e fez algumas participações como atriz em "Mandrake" (2005), "Cidadão Brasileiro" (2006) e "Amigas e Rivais" (2007). Apesar da pausa na carreira na televisão, ela fez teatro e sempre quis se estabilizar como atriz.

Nos últimos anos, Suzana tem investido na carreira de atriz. Tem mais de dez peças e filmes no currículo. Começou o mestrado em dramaturgia na USP e estudou no Centro de Pesquisa Teatral do diretor Antunes Filho. “Admiro demais essa artista de garra e talento”, elogia Juca de Oliveira, com quem ela trabalhou na montagem A Babá. Na ocasião, uma colega de elenco não quis dividir o palco com ela e deixou a montagem. “Não vou contracenar com uma bunda”, justificou. O rompante preconceituoso foi um caso isolado. “Suzana é muito maior do que a Tiazinha, pode viver qualquer personagem”, garante Juca de Oliveira.

 

Apesar de ter esbanjado e perdido muito dinheiro, ela conseguiu guardar o suficiente para levar uma vida confortável. É sócia de um estúdio de pilates no Morumbi, tem uma cobertura na Vila Olímpia, um apartamento em Campo Limpo e uma bela casa três andares, piscina, jardim e decoração elegante, em um condomínio fechado, onde vive com o marido, o ex-tenista Flávio Saretta, desde que eles se casaram, em 2010.