Grupo em Marília tem o 2º maior vencedor e novato com boa estrutura

Mogi Mirim tem investimento chinês na base e foi campeão de um torneio preparatório neste mês

Marília será uma das 32 sedes da Copa São Paulo de Futebol Junior e além do MAC, terá: Fluminense-RJ, Tubarão-SC e Mogi Mirim no Grupo 8. O Tricolor Carioca é o grande favorito a ficar com uma das duas vagas. A agremiação é a segunda maior vencedora da principal competição de base do Brasil, com cinco títulos conquistados (só perde para o Corinthians com dez).

O Fluminense é um dos principais clubes do País, mas convive com um drama nas últimas semanas. Há poucos dias da estreia, perdeu seu técnico, o uruguaio Leo Percovich. No último dia 16, o carro em que o treinador e sua família estavam caiu de uma ponte de mais de 20 metros na BR-040 no município de Santos Dumont, em Minas Gerais. Poucas horas depois do acidente, a filha mais nova, de 5 anos, morreu. A mais velha, de 10 anos, morreu dias depois.

Após 11 dias internado, Léo Percovich, recebeu alta na quarta-feira (27). De acordo com a assessoria do Hospital Albert Sabin, apesar da liberação, ele deverá continuar no centro hospitalar para acompanhar o estado de saúde da esposa e do filho de 8 anos, que estão internados sem previsão de alta.

Por conta do trágico episódio, toda a comissão técnica decidiu se unir e tocar o trabalho que vinha sendo feito por Léo e o coordenador técnico Marcelo Veiga assumirá a função de treinador na competição. Veiga chegou às Laranjeiras em 2004 e teve passagem vitoriosa por todas as categorias do Sub-11 ao Sub-20.

Apesar de ser o segundo maior vencedor da Copinha, o Fluminense levantou a última taça há quase 30 anos (em 1989). A última vez que ficou perto do sexto ‘caneco’ foi em 2012, quando perdeu a final para o Corinthians. De lá para cá, a melhor campanha do clube carioca foi em 2014, sendo eliminado na semifinal novamente pelo Timão. Na edição 2017, ficou na 3ª fase ao ser derrotado pelo Juventus. No mês passado, na disputa da Copa RS, não passou da 1ª fase.

 

Mogi Mirim

Rebaixamentos no Campeonato Paulista da Série A-1 e no Brasileiro da Série B de 2016 e queda na Série A-2 e Brasileiro Série C de 2017. Essa é realidade atual do profissional do Mogi Mirim, um dos clubes mais tradicionais do interior do Estado. Contudo, a base parece estar na contramão dessa crise financeira e de resultados. Em setembro, a agremiação firmou parceria com um grupo da China para administrar as categorias de base.

A empresa Brasil Top Skill (BTS) assinou contrato com o Sapo e ficará, pelos próximos cinco anos, responsável por oferecer infraestrutura e comandar os rumos dos times sub-11, sub-13, sub-15, sub-17 e sub-20. No Campeonato Paulista Sub-20, o Sapo não passou da 1ª fase. Nos dois últimos meses, o Mogi fez alguns jogos-treino e participou de torneios preparatórios para a Copinha.

No último dia 23, o clube conquistou o título da Copa Interestadual de forma invicta. Na final, vitória sobre Amparo por 3 a 0, em Águas de Lindóia. Em sete jogos disputados, foram sete sucessos. O time marcou 27 gols e sofreu apenas quatro. Um saldo de 23 gols positivos. A defesa também teve grande desempenho na competição, foram apenas quatro gols (média de 0,57).

Das últimas dez edições da Copa São Paulo Junior, o Mogi Mirim só não participou em 2015. A melhor campanha neste período foi em 2013, com a eliminação na 3ª fase para o Goiás (2 a 0). Em 2017, o clube chegou até a 2ª fase, mas foi derrotado pelo Ceará (2 a 1).

 

Tubarão-SC

O Clube Atlético Tubarão disputará pela primeira vez uma edição da Copa São Paulo Junior. Fundado em 2005, a agremiação leva o nome da cidade de Tubarão, situada a sul do Estado de Santa Catarina. O município possui pouco mais de 100 mil habitantes. Apesar de ser o único novato do Grupo 8, o clube está longe de ser um “peixe morto”

Em 2015, o Tubarão e a empresa K2 Soccer S/A iniciaram um projeto inovador, com objetivo de modernizar e estruturar todos os setores, investindo na qualificação. Estruturada através de uma SPE (Sociedade de Propósito Específico), a união visa preservar receitas para o clube e potencializar a capacidade de investimento no futebol, fomentando a profissionalização e a busca por novos negócios.

A agremiação foi transformada em empresa (Clube Atlético Tubarão SPE Ltda) e incubado na Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul), se tornando assim, o primeiro clube ‘startup’ do Brasil.

Nesta temporada, o profissional do Tubarão terminou na 6ª colocação do Campeonato Catarinense, entre os dez times participantes. Já na Copa Santa Catarina (com quatro times), o clube conquistou o título. Na base, a equipe que disputará a Copa SP Junior será a mesma que participou do Campeonato Catarinense Sub-19 e acabou na 6ª posição (competição teve oito clubes).

O técnico do Tubarão é Beto Almeida, de 62 anos, que tem experiência comandando equipes profissionais como: Juventude-RS, Brasil de Pelotas-RS, ASA-AL e Guaraní (Paraguai), entre outras. Seus dois últimos trabalhos foram na base do Grêmio-RS, até março deste ano, com o sub-17 e o sub-20.

O clube catarinense também contratou para a base o observador técnico, Marcelo Gomes, com passagens por: Grêmio-RS (entre 2013 e 2015) e São Paulo (de 2015 até setembro deste ano).